quarta-feira, 6 de abril de 2016

Quando Mais Significa Menos...

Acho que começo, enfim, a colher alguns frutos do meu empenho em mudar...
Há quase um ano tenho dedicado muito esforço e oração na tentativa de domar meu gênio e fazer brotar flores de paciência no meu jardim.
Os resultados eu vejo a olho nu. Uma recompensa em um olhar, em um sorriso, na simples constatação de que estou, na velocidade de tartaruga, conseguindo mudar e, assim, ensina-los também.
Por aqui os temperamentos predominantes são sanguíneo e colérico o que já é suficiente para transformar uma simples discordância em uma trincheira de guerra. Se nós adultos temos problemas no controle de nossas reações, que dirá as crianças, que sequer sabem definir o que sentem...
Adicione a isto uma bebê cada dia mais deliciosa, chamando a atenção de todos por onde passa... E, assim, a flecha do ciúme penetra cada dia mais fundo dois coraçõezinhos por aqui.
Venho tentando preencher estas brechas com amor e atenção, dedicando tempo para brincar, ler, pintar ou, simplesmente, sentando no meio fio da calçada para chupar um picolé ao lado deles. Quando fecho meus olhos lembrando destas cenas, encontro na memória o retrato dos sorrisos, a satisfação dos olhares que miram em mim com ternura e gratidão.
Mergulhar assim tão fundo em minha alma é coisa que só mesmo eles conseguem...
A quaresma foi um período de grande reflexão para mim... E as mudanças que seguiram a estas reflexões têm feito grande diferença no nosso lar.
Eis algumas delas:
 - O celular deixou de disputar tempo com eles. Quando estamos juntos, dedico 100% de minha atenção a eles;
 - Tenho seguido religiosamente momentos de oração e entrega a Deus. Momentos preciosíssimos de comunhão onde tenho abastecido meu coração. Esses momentos não só me trouxeram mais calma como também me trouxeram ainda mais paz;
 - Tenho feito atividades com eles TODOS os dias, como pintura, brincar na terra, ouvir música, dançar,  brincar de LEGO... Qualquer coisa que eles gostem e que nos permita conversar e alimentar nossa relação de cumplicidade e amor;
 - Estamos meditando e rezando juntos antes de dormir. Uma atividade que ainda precisa evoluir MUITO, mas que já dá sinais do bem que nos fará;
 - Tenho colocado eles para dormir contando histórias da Bíblia. No momento, estou lendo O Livro da Fé para Crianças. Não é algo que eles adorem, mas é algo que, certamente, fará muita diferença na vida deles.
Enfim, o segredo de menos birra, de menos choro, menos carência é bem simples: mais atenção. Há momentos em que, invariavelmente irão chorar pois não podemos dar tudo e, tão pouco, sempre dizer sim a eles, mas há momentos em que um abraço, um beijinho ou até mesmo um simples olhar são mais que suficientes para cessar uma iminente tempestade.
Tenho percebido que tratar filhos como quem disputa um cabo de guerra com certeza sempre nos trará a sensação de vitória, afinal somos sim os mais fortes, mas aqui, a fortaleza que desejo, é a do espírito, onde impera a lei do amor e não a da força.
Que a obediência nasça da admiração e não do medo!
Que o respeito brote do amor, jamais do grito!


5 comentários:

  1. Parabéns Waleska! Precisamos de exemplos como esse para nós ajudar e saber que existe pessoas que querem melhorar . obrigada pela partilha e que Deus te fortaleça a cada dia da sua vida.
    Abraço,
    Daniela Gimenez

    ResponderExcluir
  2. Parabéns Waleska! Precisamos de exemplos como esse para nós ajudar e saber que existe pessoas que querem melhorar . obrigada pela partilha e que Deus te fortaleça a cada dia da sua vida.
    Abraço,
    Daniela Gimenez

    ResponderExcluir
  3. Obrigada, Daniela. A intenção deste Blog é justamente essa: através da partilha conseguir ajudar outras mães!

    ResponderExcluir
  4. "Que a obediência nasça da admiração e não do medo!
    Que o respeito brote do amor, jamais do grito!"

    grandíssima meta. Que a Virgem me e nos ajude!
    Julie Maria

    ResponderExcluir