quinta-feira, 29 de novembro de 2018

Meu Menino Sanguíneo




É bem verdade que cada filho vem com a tarefa de nos aperfeiçoar em determinada área, nos fazendo melhores a cada dia. Por aqui isso não é diferente, mas hoje eu quero falar de um deles em particular, porque ele diariamente testa todos os nossos limites.

Sempre que escrevo sobre ele, recebo um monte de mensagens de outras mães com filhos também sanguíneos. E se por um lado me escrevem relatando as infinitas frustrações que experimentam por falharem com eles nesse constante testar de limites, por outro são unânimes em descrever a sensibilidade e o coração destes anjos.

Gabriel é 200% sanguíneo, se é que me entendem... Inquieto, hiperativo, esquecido, distraído, cheio de tiques e manias, fala muito, alto e rápido, bate em tudo e derruba quase tudo também, é inconveniente, resistente, teimoso, preguiçoso, reclamão ao menor sinal de desconforto, finge necessidades quando senta para estudar... Enfim, sempre que eu sento para ler sobre crianças sanguíneas em algum livro sobre temperamentos, ele se encaixa em todas as descrições.

Já li alguns livros sobre o assunto e sigo procurando alternativas de melhor convívio para direcioná-lo nestas suas características que tanto exigem de mim e que, se não forem corrigidas ou controladas, poderão lhe trazer alguns inconvenientes, alguns problemas...

Trago Gabriel sempre na rédea curta, bastante atenta às pessoas que o cercam e sempre de olho nas suas características que tendem a vícios. Já percebi que ele funciona na base do empurrão, mas se por um lado estou sempre fazendo-o dar um passo, no outro preciso compensar a mão para não estimular-lhe a sua já característica preguiça. Nosso convívio é como tentar equilibrar os pratos de uma balança, sempre dosando para nem frustrar pelas exigências acima de suas capacidades nem deixá-lo trabalhando justamente em sua zoninha de conforto, porque se assim for, ele cria raízes nela.

É uma vitória a cada dia! Uma vitória onde eu, além de ter que guiá-lo neste processo, preciso aprender também a conviver com todas as limitações do meu temperamento 200% colérica. Hoje eu tenho certo que a "vitória" sobre Gabriel virá quando eu conseguir primeiro me vencer, me dominar, ser justamente o espelho que ele necessita. A  calma que não tinha, mas que continuo perseguindo com ousadia, hoje já dá sinais de existência no convívio pacífico com alguns comportamentos dele que antes tanto me irritavam. Hoje eu o compreendo não apenas movida pelo amor, mas também pelo conhecimento, sabendo que muitas vezes fui injusta com ele achando que estava me faltando com respeito quando, na verdade, estava apenas sendo ele.

Gabriel é meu anjo, é minha luz... E hoje eu sei claramente o que ele veio trazer à minha vida, o que Deus quer mudar em mim através deste menino de coração tão generoso, sensível e BOM. Gabriel é esse turbilhão que nos testa todos os limites e que nos coloca no eixo com suas declarações e colocações tão profundas e verdadeiras. Ele é lindo por fora, perfeito em seus traços, mas seu coração é o que ele tem de mais belo.

Sanguíneos são assim: esse constante bate e assopra! E eu sigo aqui, apanhando quase todo santo dia, mas cada dia mais consciente de que eu sou a sua melhor bússola, por mais imperfeita e limitada que eu seja... Somos assim, perfeitos um para o outro até mesmo nas nossas imperfeições (ou justamente por elas).

Waleska Montenegro.



4 comentários:

  1. Quero começar agradecendo por sua partilha, ajuda muito!
    Meu pequeno César de 3 anos, acredito de fato ser sanguíneo também. Entendo mesmo o que diz e hoje minha maior dificuldade é precisar trabalhar fora, o que piora muito a situação de um sanguíneo que precisa ser bem direcionado. Deus abençoe sua vc e sua linda familia. Abraços. #umpouquinhomaisdemim

    ResponderExcluir
  2. Meu Deus Waleska, vc me leva as lágrimas, a reflexões!!! Você tem o Dom de colocar em palavras uma realidade que faz parte da minha vida há 10 anos e nunca saberia me expressar tão bem. Agradeço de coração.... Li seu texto trocando o nome de Gabriel por Tiago!

    ResponderExcluir
  3. Olá Waleska, achei muito interessante o que escreveu e me interessei muito. Você me indica algum livro que fala do assunto? Tenho três filhos, o caçula só de 03 meses, por enquanto tranquilo, mas os outros 2 possuem personalidades totalmente diferentes, por isso acredito que entender um pouco mais sobre os tipos de comportamento me ajudaria bastante.

    ResponderExcluir
  4. Me empolguei tanto com o que escreveu que já fui mandando pergunta sobre o assunto, rss. Logo depois vi que já havia publicado falando um pouco mais dos temperamentos.

    ResponderExcluir